Esta matéria faz parte do conjunto de transformações Infraestrutura
Clique e conheça os detalhes do projeto
19/04/2012 | Infraestrutura

Prefeitura lança Plano Estratégico da Cidade

Documento reúne 56 metas e 58 iniciativas agrupadas em áreas como saúde, educação, transportes, habitação e urbanização, ordem e conservação, desenvolvimento econômico, meio ambiente e sustentabilidade, cultura e desenvolvimento social

O orgulho carioca esteve reunido na noite de terça-feira (dia 17) nos galpões da Gamboa, em frente à Cidade do Samba, onde a Prefeitura do Rio fez a festa de lançamento do Plano Estratégico da Cidade (para o período compreendido entre os anos 2013-2016). Mais do que o orgulho, pairavam no ambiente as expectativas e esperanças de uma cidade que, além de maravilhosa, se tornará olímpica – e com a responsabilidade de deixar verdadeiros legados para seus moradores. O próprio local da cerimônia representava isso: após anos de abandono, os galpões foram revitalizados no Projeto Porto Maravilha – que envolve investimentos de R$ 8 bilhões em Parceria Público-Privada.

O novo plano ampliou a participação da sociedade. Além de pesquisas de opinião com mais de 2 mil horas de reuniões com integrantes do governo e da sociedade civil, o governo reuniu  no Conselho da Cidade 200 cidadãos das mais diferentes áreas (jornalismo, arquitetura, engenharia, economia, artes, meio ambiente, além de entidades de classe e associações civis). A ideia é refletir e propor soluções para a cidade que o carioca almeja.

– Sempre digo o quanto me sinto honrado em ser prefeito desta cidade. Antes, achava que causava inveja apenas em governantes de outros estados e municípios. Os membros do Conselho da Cidade me provaram que há milhões de cariocas que gostariam de estar no meu lugar, e ajudam a fazer do Rio uma cidade cada vez melhor –, discursou o prefeito. – Me perguntaram se o plano não é ousado demais. Respondi que sim, mas uma cidade que se pretende olímpica deve ter essa ousadia, essa superação, inspirada no próprio espírito olímpico –, disse Paes.

Convidados conferem em dispositivos móveis algumas das 56 metas do plano estratégico do município

O documento reúne 56 metas e 58 iniciativas agrupadas em 10 áreas (saúde, educação, transportes, habitação e urbanização, ordem e conservação, desenvolvimento econômico, gestão e finanças públicas, meio ambiente e sustentabilidade, cultura e desenvolvimento social). Para cada meta já foi previsto o orçamento, da ordem de R$ 38,6 bilhões.

– É difícil escolher a prioridade da prioridade, o plano já é uma escolha de prioridades. Mas na minha visão alguns se destacam. Como na área da saúde, onde uma das principais metas é acelerar o atendimento do programa de saúde da família. Hoje, ele atinge 35% da população, mas queremos chegar a 70%. Essa é uma meta que, a curto prazo, traz um grande impacto no cotidiano das pessoas. Na educação, vamos ampliar o número de alunos em ensino integral. Sair do período de 4h e meia para 7h por dia, em 35% da rede de alunos cobertos pela Prefeitura –, explicou o secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Paulo de Carvalho.

Em 2009, a prefeitura desenvolveu o primeiro Plano Estratégico, pensando a cidade até 2020 e com metas objetivas até 2012. Até o final de 2011, aproximadamente 80% das metas foram alcançadas. Desde a concepção do plano, porém, a cidade foi confirmada como sede das Olimpíadas de 2016, o projeto de revitalização do porto tornou-se uma realidade e a prefeitura retomou sua capacidade de investimento, dobrando os recursos em saúde e educação, por exemplo. Entre as metas mais ambiciosas estão a redução da mortalidade infantil por mil nascidos (12,2 no plano de 2009/2012 para 9,8 no atual), redução das áreas de favelas (3,5% contra 5% do atual) e aumento dos domicílios urbanizados do Morar carioca (de 70 mil para 156 mil).

“Uma das principais metas é acelerar o atendimento do programa de saúde da família. Queremos passar de 35% para 70% da população”–, explicou o secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Paulo de Carvalho

A festa de lançamento contou com amplos telões veiculando mensagens sobre o plano. Havia ainda estandes apresentando ao público novas iniciativas da prefeitura, como o funcionamento ao vivo do Centro de Operações, um dos mais modernos do mundo, e até o novo ônibus que vai circular pelas novas vias expressas, como a Transcarioca e a Transolímpica.

Vários artistas e convidados estiveram presentes no encontro, entre eles os cantores Gabriel O Pensador e Fernanda Abreu, o lutador Minotauro e a tia Dodô da Portela, verdadeiro patrimônio cultural da cidade. Do alto dos seus 92 anos, a moradora do Morro da Providência acompanhou de perto o ocaso e, agora, o renascimento da Zona Portuária.

– Não esperava um dia ver essa transformação. A cidade vai ficar linda e cada vez melhor –, comentou.

Notícia Anterior
Prédio histórico ganha forma de museu na Mauá
Próxima Notícia
O olhar de 18 jovens sobre o novo Porto