Esta matéria faz parte do conjunto de transformações Parque Madureira
Clique e conheça os detalhes do projeto
06/06/2012 | Meio Ambiente | Parque Madureira

Um parque para renovar Madureira

Com 1,5 km de extensão, Parque Madureira é o terceiro maior da cidade. Ali foram plantadas 1.500 árvores nativas, que ajudarão a mudar o microclima da região

Mais de um quilômetro de extensão de área livre, árvores, cascatas, palco para espetáculos, quadras de vôlei de praia, espaço para a prática todas as vertentes de skate, lan house. O Parque Madureira está quase pronto e vai levar ao bairro da zona norte um pouco de diversão e ar puro. Mas não apenas isso. “O Parque Madureira é o terceiro maior parque da cidade. Ele é cercado por toda uma área que durante anos perdeu suas áreas verdes. Aqui no entorno tem 98% de taxa de ocupação do solo. O Parque Madureira foi concebido dentro de um conceito de obra pública sustentável. É a essência da administração pública verde”, descreve Mauro Bonelli, engenheiro-responsável pelo projeto.

As preocupações ambientais estão por todo lado. “Por baixo dele há um sistema de irrigação, captação de água de reuso. Toda parte de iluminação interna do parque é com energia em led, onde você tem aproximadamente entre 45% e 50% de redução no consumo e equipamentos com a vida útil maior”, destaca Bonelli. Para o economista Sérgio Besserman, economista e presidente do Grupo de Trabalho da Prefeitura para a Rio + 20, a obra é um exemplo do que há de mais avançado em termos de consciência social. “É um projeto que utiliza os parâmetros mais modernos dentro de tudo aquilo que a gente chamaria de sustentabilidade aplicados a um parque. Isso tem um valor imenso. Não é apenas de tornar mais sustentável aquela área. É que vira um exemplo de educação ambiental do melhor jeito possível, envolvendo as pessoas. Quer dizer: cada coisa é um evento. E o parque vai destacar isso”, elogia.

Um dos destaques do Parque é a Praça do Samba, área dedicada ao samba da cidade. No palco, cabem 350 ritmistas. “Uma bateria inteira de escola de samba”, comenta Bonelli. O local comporta um público de mil pessoas sentadas ou 4 mil em pé para assistir aos espetáculos, circulando pelo entorno, onde haverá quiosques. Já a Nave do Conhecimento é um projeto digital, espécie de grande lan-house para a comunidade. Ela se integra com os conceitos verdes. “A nave do conhecimento é como se fosse um centro de ciência. E a gente vai tentar fazer justamente a interface desse projeto com a questão do resto do parque. Como é que a gente casa a sustentabilidade com essa parte digital, de divulgação?”, propõe o engenheiro.

Haverá também lagos. “São cinco ao todo, que somam 1.650 metros. Cada lago é um conjunto de três circunferências. Nas centrais, há chafarizes que mantêm a água em movimento”, revela. A circulação da água, aliada à vegetação, pode reduzir a temperatura nas proximidades do parque entre 3 e 5 graus.

Os esportes também são parte do projeto. Duas quadras de vôlei de praia estarão disponíveis para os visitantes. Um projeto social promoverá a iniciação esportiva de crianças moradoras da comunidade no entorno. Com dimensões oficiais, a ideia é que isso incentive a atividade esportiva num ambiente especial como o Parque Madureira. O outro destaque fica por conta da área de skate, que oferece opções para os amantes do vertical, do street e do longboard. A principal piscina tem profundidade de 3,5m. No Skate Plaza, escadas, corrimãos e outros obstáculos garantem o circuito. Ao redor de tudo, uma pista para um passeio de longboard. Com 3.850m², é um dos circuitos mais completos do Brasil. E, como todo o Parque Madureira, também tem nos detalhes o zelo com o meio ambiente e conceitos sustentáveis. “Além de contemplar todas as modalidades ele tem verde, ele tem árvores. Outro ponto superimportante é que toda a água aqui dentro é captada e vai para a caixa de reuso. Tudo olha, tudo foca, tudo vislumbra essas questões de sustentabilidade”, completa Bonelli.

Conheça todas as áreas do Parque Madureira

- Praça do Samba

Área destinada ao samba da cidade, já que Madureira é um dos berços do samba carioca. Palco onde cabem 350 ritmistas – uma bateria inteira de escola de samba. O local comporta um público de mil pessoas sentadas ou 4 mil em pé para assistir aos espetáculos. Uma homenagem que a prefeitura faz ao samba.

- Nave do Conhecimento

Projeto digital, espécie de grande lan-house para a comunidade toda em estrutura metálica. Centro de ciência que vai fazer a interface com o mundo digital, já que todo Parque Madureira está interligado por cabos de fibra ótica.

- Lagos

São cinco ao todo, que somam 1.650 metros. Cada lago é um conjunto de três circunferências. Nas centrais, há chafarizes que mantêm a água em movimento – maior deles têm cinco metros de altura. São especialmente iluminados à noite. Devem reduzir a temperatura do microclima entre 3 e 5 graus.

- Jardim dos Sentidos

Especialmente para os deficientes visuais. Ali, eles vão poder identificar as plantas pelo cheio e pela textura das folhas. O trabalho tem como base uma iniciativa já em andamento no Jardim Botânico do Rio.

- Escada Hidráulica


Lâmina d’água por onde as pessoas podem andar. Um tanque recebe a água da chuva, que será bombeada – e filtrada – para que também funcione como uma cascata. Aqui será possível se refrescar.

- Pista de Skate

Oferece opções para os amantes do vertical, do street e do longboard. A principal piscina tem profundidade de 3,5m. No Skate Plaza, escadas, corrimãos e outros obstáculos garantem o circuito. Ao redor de tudo, uma pista para um passeio de longboard. Com 3.850m², é um dos circuitos mais completos do Brasil.

- Quadras

Duas quadras de vôlei de praia estão disponíveis para os visitantes. Um projeto social promove a iniciação esportiva de crianças moradoras da comunidade no entorno. Com dimensões oficiais, ela incentiva a atividade esportiva num ambiente especial como o Parque Madureira.

- Arena Carioca

Área em torno da Praça do Samba. Conta com quiosques e banheiros totalmente acessíveis a pessoas com deficiência, além fraldários para as famílias. Com paredes e banheiros verdes que destacam o conceito de sustentabilidade que está por todo o Parque Madureira.

- Centro de visitantes

Aberto ao público. No segundo andar, funciona como centro de exposições e de educação ambiental. No primeiro, fica o controle do Parque. É o símbolo do projeto. Todo o teto tem placas de energia solar. As paredes verdes garantem redução do consumo de energia e mais conforto térmico.

Notícia Anterior
BRT TransOeste muda o conceito de transporte público na cidade
Próxima Notícia
Primeiro corredor expresso é inaugurado