Esta matéria faz parte do conjunto de transformações Porto Maravilha
Clique e conheça os detalhes do projeto
03/05/2012 | Infraestrutura | Porto Maravilha

Museu do Amanhã tem conteúdo apresentado

Prefeito Eduardo Paes e o idealizador do projeto, o arquiteto espanhol Santiago Calatrava, contam que o equipamento servirá como espaço de reflexão

Um museu de possibilidades. Com esta premissa, foi apresentado na última quarta-feira, dia 02 de maio, o conteúdo expositivo do Museu do Amanhã, que será construído no Píer Mauá, com previsão de inauguração para maio de 2014. Projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, o museu visa explorar possibilidades de futuro, além de dar uma lição de sustentabilidade.

- Nossa meta é poder fazer com que uma visita ao redor do museu possa ser uma lição de sustentabilidade, de botânica, de relação com o entorno e do que significa energia solar – explicou Calatrava.

A importância da sustentabilidade já é ressaltada pelo próprio prédio do Museu do Amanhã. Com 15 mil metros quadrados, o edifício terá uma fachada móvel, com uma estrutura similar a asas, que se movimentarão para melhorar a iluminação do ambiente, além de permitir a sustentação de placas que vão captar energia solar. A água da Baía de Guanabara também será reaproveitada através de um sistema de filtro, permitindo que ela possa climatizar o interior do espaço, além de abastecer o espelho d’água do museu.

O prédio, segundo Calatrava, estará totalmente integrado ao seu entorno. “É um prédio que dialoga com a cidade. Há uma ideia de transformação, uma metáfora de mudança na forma do edifício, que lhe dá a ideia de ser vivente”, afirmou.

Um dos ícones da revitalização da região Portuária, como destacou o próprio prefeito Eduardo Paes, o Museu do Amanhã será um espaço de reflexão permanente sobre como as ações humanas causam impacto em todo o planeta. De acordo com o curador do museu, o doutor em cosmologia Luiz Alberto Oliveira, o conjunto das ações do homem “alcançou tal escala que o ser humano se transformou em uma força geológica” capaz de alterar o clima e interferir em ecossistemas.

Para retratar tais mudanças, o espaço vai contar com ambientes audiovisuais, instalações interativas e jogos que vão simular desde o aparecimento da matéria ao surgimento do cosmos, passando pela cadeia de DNA e o funcionamento do cérebro humano. Todo esse conjunto de informações servirá para levar o público a examinar o passado, manipular as várias tendências do presente e imaginar futuros possíveis nos próximos 50 anos.

Dentro da nave central do Museu do Amanhã, o conteúdo estará dividido em quatro grandes áreas de exposições permanentes, batizadas de Cosmos, Contexto, Antropoceno e Amanhã. Além delas, o público terá acesso a uma sala de exposições temporária, um centro de referência onde acontecem cursos e palestras, auditório, lojas e cafeteria.

Todo o projeto do Museu do Amanhã está orçado em R$ 215 milhões, que serão custeados pela venda dos CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção).

- O Museu do Amanhã vai ficar para a cidade como o Maracanã, como os Arcos da Lapa, como os nossos monumentos naturais, como o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor – afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Notícia Anterior
Obras transformam antiga Via Trilhos
Próxima Notícia
EDI prepara o futuro da Providência