04/10/2012 | Meio Ambiente | Recuperação da Bacia de Jacarepaguá

Rios de Jacarepaguá ganham grande projeto de drenagem

Programa de Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá já finalizou a canalização de quatro rios a fim de melhorar o escoamento das águas em caso de grandes chuvas

A preparação da cidade para os Jogos Olímpicos de 2016 vai além da melhoria das vias, da construção de equipamentos esportivos e da reurbanização de áreas inteiras da cidade (como é o caso da Zona Portuária). Em Jacarepaguá, bairro da Zona Oeste da cidade – região vizinha à Barra da Tijuca, onde acontecerá a maior parte das competições –, mais de 10 rios estão recebendo obras de macrodrenagem com o objetivo de aumentar a capacidade de receber águas das chuvas. Dos 14 previstos, quatro já estão prontos: o Córrego da Panela e os rios Itanhangá, São Francisco e Papagaio – este último, alvo de uma intervenção que transformou uma área que, por anos, foi apenas um valão a céu aberto.

“Essas obras fazem parte do caderno de encargos das Olimpíadas porque nesta região nós teremos o Parque Olímpico, com diversos equipamentos esportivos que estão ao redor da Lagoa de Jacarepaguá. Todos esses rios escorrem para essas lagoas. Com isso, criamos uma balneabilidade e sustentabilidade maior nas lagoas, juntamente com as estações de tratamento construídas no entorno das lagoas”, explicou Mauro Duarte, presidente da RioÁguas.

Um dos exemplos desse tipo de obra é o Rio Papagaio, que corta a localidade conhecida como Anil, em Jacarepaguá. Lá, foi possível não só ampliar as margens e a profundidade do rio – até então, soterrado por detritos e transformado num lixão a céu aberto –, mas, sim, fazer uma reurbanização completa. Hoje, as águas passam por debaixo de um grande calçadão, transformado em praça com direito a academia para a terceira idade.

“Claro que uma medida como essa não é possível em todos os rios. Mas neste trecho específico do Papagaio, vimos que esta seria a melhor solução, até para valorizar a região”, conta Duarte. “O próprio conceito de drenagem não nos permite fazer o fechamento do tampão do rio, pois dificulta a própria manutenção. Mas em alguns casos você consegue adaptar à realidade da localidade, de acordo com a necessidade e o projeto hidráulico”.

O conjunto de obras já beneficiou, além do Anil, moradores dos bairros Freguesia e Itanhangá, onde cortam os rios São Francisco, Itanhangá e Córrego da Panela, onde as macrodrenagem já foram finalizadas. Foram mais de 4 quilômetros revitalizados por meio de processos de canalização, dragagem e melhorias paisagísticas. Neles foram colocados, por exemplo, seções de concreto que aumentam a velocidade da água – e, consequentemente, a velocidade de escoamento –, além de galerias maiores.

Ao todo, serão beneficiados 350 mil moradores da região. O programa conta com investimentos de R$ 340 milhões. Os 14 rios que receberão a intervenção foram divididos em três lotes. Eles cercam a principal região dos Jogos Olímpicos de 2016, onde serão instalados equipamentos para as competições.

Notícia Anterior
Na TransCarioca, um canteiro de obras a todo vapor
Próxima Notícia
Novo mergulhão na Barra da Tijuca melhora ponto crítico da região